Na medida em que as pessoas envelhecem, o primeiro lugar que elas notam sinais do tempo geralmente é no rosto. A boa notícia é que, para esse tipo de frustração, existe uma solução simples e prática: o preenchimento facial. Por meio dele, é possível devolver o volume e luminosidade à pele, dando-lhe uma aparência mais saudável, radiante e jovial.

O grande problema é que, assim como tudo na vida, o excesso dos injetáveis (para essa e outras finalidades) pode ser um verdadeiro inimigo da beleza. Nesse caso, isso acontece porque, quando a pessoa realiza preenchimentos demais e sem aguardar o período certo entre uma sessão e outra, o resultado é o bom e velho aspecto de “pillow face”.

A obsessão pela perfeição e suas consequências

A perda de volume no rosto já começa a se manifestar por volta dos 20 anos. Já aos 40, algumas rugas perceptíveis e a perda de elasticidade da pele definitivamente deixarão as suas marcas.

Destinados, então, a reverter essa situação (aumentando as áreas de volume perdido e restaurando a plenitude juvenil que todos almejamos), os injetáveis ​​como ácido hialurônico, Juvederm®, Sculptra®, Restylane® e Radiesse® podem ser muito eficazes (se administrados corretamente).

O grande problema é que, apesar dos inúmeros benefícios que um preenchimento facial pode trazer, o seu excesso pode minar completamente seu propósito original. O paciente, ao invés de transbordar beleza e jovialidade, passa a se parecer “com uma almofada”.

Isso acontece porque, quando os preenchedores são aplicados em demasia, o rosto fica inchado e rechonchudo. Afinal, as injeções são feitas “uma em cima da outra”, sem respeitar o tempo de absorção completa da última aplicação. É por isso, inclusive, que esse quadro é chamado de pillow face (face de travesseiro).

Esse tipo de conduta é utilizado, muitas vezes, para esticar ainda mais a pele, ou antecipar a perda de volume naquela região. Além disso, quando a técnica utilizada é inadequada, as chances de a pessoa ficar com o semblante estufado são ainda maiores.

Então, como usar os preenchimentos dérmicos ao seu favor?

O primeiro passo é entender que, tratando-se do uso de preenchimentos injetáveis ​​para combater o envelhecimento, a técnica utilizada é a mais importante. Por isso, procure por um profissional qualificado e de confiança para tal.

Além disso, é preciso entender que a pele perde elasticidade na medida em que envelhecemos. Isso significa, então, que ela não consegue manter o volume da mesma forma que fazia antigamente. Isso é normal e faz parte do processo!

O segredo, então, é utilizar os preenchimentos dérmicos para amenizar esses efeitos, e não revertê-los 100%. Afinal, o enchimento excessivo do rosto resultará em uma aparência não natural e, a longo prazo, pode prejudicar ainda mais a elasticidade da pele.

Fábio Gontijo - Doctoralia.com.br

CNPJ: 25.188.672/0001-01

Todos os direitos reservados a Clínica Fábio Gontijo. Desenvolvido por Agência Salt.